O que fazer depois do desafio? Novas regras para o Less is the new black

Passei um ano sem comprar roupas novas e vivendo com o que coube na minha mala: 50 peças. Disso você já sabe. Se está chegando por aqui agora e quer entender o desafio, eu conto tudo nos posts anteriores do blog.

Eu estava com algumas ideias sobre o que fazer em seguida, mas não queria tomar nenhuma decisão sem saber como seria esse pós desafio. Tirei férias do blog, observei e refleti muito antes de formular definitivamente o que será este projeto de agora em diante.

Assim que acabou o meu ano sem compras, muitos acharam (eu mesma, inclusive) que a primeira coisa a fazer seria, naturalmente, comprar. Mas demorou até isso acontecer. Sem dúvida consegui acabar com as compras por impulso durante o desafio. Só por isso já teria valido a pena. Mas a mudança foi muito mais profunda. E isso eu também já expliquei aqui.

Três meses se passaram sem comprar nada novo. Mas eu comecei a entrar novamente nas lojas e experimentar muita coisa. Eu nunca gostei de experimentar roupas, achava trabalhoso e desnecessário. Realmente, é trabalhoso, mas extremamente necessário. É a única maneira de aprender o que funciona bem em você. Comprar sem experimentar é garantia de mais uma peça abandonada no armário.

E não queremos mais peças abandonadas no armário, certo?

Para evitar voltar a acumular coisas agora que eu me permiti a comprar, minha primeira decisão é continuar com o número de peças que tenho hoje. Decidi que esta quantidade de roupas funcionou bem para mim, cabe na minha mala, deixou o meu guarda-roupa mais organizado e a minha vida mais simples.

Então, o desafio continua com as seguintes regras:

  1. Viver bem com 50 peças de roupas.
  2. Para entrar uma roupa nova no armário, outra tem que sair.

Sou grata ao guarda-roupa que me acompanhou no último ano. Ele funcionou muito bem, não senti falta de nada e vivi feliz da vida com o que eu tinha. Aprendi muito com ele e chegou a hora de fazer algumas mudanças. É preciso. A vida muda, a gente muda.

No ano passado, ao escolher as peças que ficariam, optei pelas roupas com as quais eu conseguiria fazer o maior número possível de combinações. Foi uma aposta segura. Hoje, estou mais confiante e sei que dá pra se virar lindamente com uma quantidade limitada de roupas. Estou pronta para incluir mais cores e estampas nesse caldo.

Com isso em mente, comecei a pensar em algumas substituições para o meu novo armário cápsula. Mas isto já é assunto para o próximo post onde conto tudo o que entra, o que sai e o porquê. Aqui vai só um preview:

img_3121

img_3120

Peças novas:

Body preto (roubado da mãe)
Saia pareô chevron (Loja Três)

 

 

Anúncios

Dia #170 Crie um novo hábito até 12 de março

Captura de Tela 2016-01-07 às 10.56.20

Talvez você seja uma pessoa que adora listas e já fez as suas resoluções de ano novo. Pode ser que não seja. Mas – botando no papel ou não – sei que existem desejos de mudança aí no seu coração. Pois agora é o melhor momento para colocá-las em prática. Janeiro é o mês em que naturalmente estamos mais motivados em começar coisas. Aproveite este empurrãozinho para dar o primeiro passo em várias decisões na vida.

Os primeiros 66 dias são os mais difíceis, segundo a teoria do psicólogo Jeremy Dean. Autor do livro Making Habits, Breaking Habits: Why We Do Things, Why We Don’t, and How to Make Any Change Stick (algo como “Criando hábitos e quebrando hábitos: por que fazemos coisas, por que não fazemos e como tornar qualquer mudança duradoura”), ele diz que precisamos repetir um comportamento por 66 dias sem interrupção para que se torne um hábito. O número é uma média apontada em estudos mencionados no livro e pode variar para menos em situações mais simples e para mais em situações mais complexas, mas vamos usar esta média por um momento.

Se você adotar os 66 dias como meta para começar um novo hábito, ele se torna mais realista e mais mensurável do que “para toda a vida” e, por isso, pode ser mais motivador. Se você começar hoje, chegaremos lá em 12 de março. Que tal?

Escolha seu objetivo e se comprometa a cumpri-lo sem exceção até 12 de março:

De hoje até 12 de março eu, _________________ , vou:

(  ) não comprar roupas novas
(  ) melhorar a alimentação
(  ) dormir e acordar mais cedo
(  ) fazer uma atividade física
(  ) ler diariamente
(  ) escrever diariamente
(  ) adicione qualquer hábito que você queira criar na vida

No começo vai ser difícil, mas este exercício pode ser muito valioso. Daqui a dois meses você vai ficar feliz de ter começado hoje.

ilustração: Emma Block

IMG_7785

IMG_7783

IMG_7784

Veja outros looks com as peças usadas hoje:
short jeans
regata preta
camisa jeans

Dia #164 Cinco metas de consumo para 2016

A Marina, do blog Moddista, me convidou para refletir sobre as minhas resoluções de ano novo e – como eu amo uma lista – não me fiz de rogada e corri pra fazer uma.

1. Ampliar o desafio para outras áreas da casa e da vida. Quando eu decidi reduzir as minhas coisas e parar de comprar, esperava encontrar sofrimento pela frente. Na verdade, só é difícil no começo e toda essa mudança me fez tão bem que agora eu quero adotar a filosofia pra tudo. Já olhei de relance para as gavetas de maquiagem e cosméticos e avisei: “vocês são os próximos”. Estou analisando processos de trabalho que podem ser simplificados para otimizar o meu tempo e revendo várias coisas na casa e na vida. Espero separar um tempo no próximo ano para fazer a limpa em muitas coisas por aqui.

2. Fazer coisas novas. É impressionante como sobra tempo e energia quando você se livra de alguns hábitos ruins na vida. Em 2016, quero aproveitar um pouco desse tempo para investir em projetos pessoais. Estou voltando a desenhar e vou fazer aulas de aquarela. Também quero aprender a nadar e enfrentar o medo de trilhas. Tudo isso para me levar a novos lugares e experiências.

3. Manter o corpo em movimento e a cabeça fresca. Dois mil e quinze foi um ano importante para mim. Nem de longe foi fácil, mas trouxe grandes aprendizados. Descobri a meditação mindfulness, comecei a fazer ioga, virei corredora. São atividades que estão me ajudando a lidar com a ansiedade e melhorando a minha vida. Todas exigem bastante disciplina e, por isso, quero me dedicar especialmente a elas daqui pra frente.

4. Planejar a vida financeira. Depois de seis meses sem comprar, eu finalmente me livrei de parcelinhas antigas e vou começar 2016 preparada para me reorganizar financeiramente. É um bom momento para estabelecer metas a curto e médio prazo e planejar as prioridades com clareza. Em uma época delicada na economia, o planejamento é o nosso melhor aliado.

5. Ir fundo no desafio do consumo consciente. Mudar um hábito não é nada fácil e o poder da cultura do consumo está aí, o tempo todo em todo lugar. Estou atenta e pretendo seguir firme na decisão de ficar até junho sem comprar. Além disso, quero me envolver mais no assunto e estudar alternativas melhores para o meu futuro como consumidora. Quero continuar trocando ideias com quem está chegando em busca do mesmo objetivo e acho que temos muito caminho pela frente ainda. Tenho pra mim que 2016 será um ano de crescimento para todos nós. E que venham dias lindos.

Feliz ano novo, pessoal!

IMG_7768

IMG_7771

IMG_7770

Veja outros looks com as peças usadas hoje:
short-saia preto
regata preta
quimono estampado

Dia #129 Como sobreviver nesta Black Friday

Chegamos naquela época do ano em que é normal pisotear outras mulheres para comprar uma blusinha ou dar um soco no cara ao lado para conseguir a TV em promoção.

A black friday é um tipo de Dia Mundial do Consumo. Como sobreviver à esta sexta-feira da melhor maneira possível é o que vamos tentar descobrir agora.

Em primeiro lugar: enquanto você está lendo este post, há várias abas abertas de promoções, certo? Vamos fechar todas para continuar a conversa.

Há três tipos de compras na black friday:

a) produtos legais que estão muito baratos
b) produtos que você quer e estão muito baratos
c) produtos que você precisa e estão muito baratos

Os produtos legais que estão muito baratos são os que apareceram espontaneamente em newsletters do seu e-mail ou você encontrou fuçando nas suas lojas preferidas. Estes são os primeiros a descartar. Não é tão difícil, vai. Você nem queria eles. Pularam na sua frente sem serem chamados.

Os produtos que você quer e estão muito baratos são os que você procurou diretamente digitando o nome deles em sites de pesquisa de preço etc. No meu caso era um kindle e um tênis de corrida. Estes você deve evitar. Aqui é onde entra a parte “consciente” da expressão “consumo consciente”. É importante se perguntar: “por que você quer?”, “precisa ser agora?”. Se você puder comprar lá na frente ao invés de hoje, prefira comprar lá na frente. Mesmo que hoje ele esteja com 50% de desconto, o seu dinheiro vale mais no bolso hoje do que amanhã. É a chamada liquidez. Comprar porque você quer talvez não seja o melhor negócio, será que você precisa mesmo disso? Neste caso, seria o nosso terceiro tipo de compra.

Os produtos que você precisa e estão muito baratos: se você chegou até aqui na sua reflexão, talvez signifique que a compra valha a pena. Só você sabe do que precisa ou não e se tem que ser agora ou pode ser deixado pra mais tarde. No meu caso, decidi que o kindle e o tênis de corrida ficariam para mais tarde e aproveitei a black friday para comprar uma passagem para ver quem eu amo ❤

Espero que essa reflexão seja útil para vocês. Não é fácil resistir a tantas promoções, mas é possível e é ótimo. May the force be with you!

 


Veja outros looks com as peças usadas hoje!
regata preta
calça jeans rasgada 

Dia #120 Chegou a vez da gaveta de roupas para malhar

Uma das grandes coisas que acontecem quando você se liberta de um hábito ruim é que você se sente poderosa e preparada para mudar muitos outros. Correr sempre esteve no topo da lista de coisas que eu gostaria muito de fazer e – olha só – é de graça.

Estou me preparando para uma prova de 8km em abril. \o/ \o/ \o/

Com essa nova rotina de exercícios, aproveitei para mexer na gaveta mais intocada do armário: a de roupas para malhar. Elas não fazem parte do armário cápsula então não tinha me dedicado nesse assunto ainda. Mas resolvi que elas também entrariam na metodologia, afinal, quem precisa de uma gaveta cheia de roupas de academia? Nem as celebridades fitness.

Fiquei com 10 peças. Uma parte de cima e uma parte de baixo para cada dia de exercício. Uma vez por semana lavo tudo e continuo mais uma vez. A gaveta ficou organizada, leve e bonita. Algumas camisetas que eu escondia ali mas não usava foram embora (as de algodão são muito quentes, as de propaganda são uó).

Para quem quer começar a correr mas ainda não deu o primeiro passo, eu indico o blog Corre, Mulherada! É ótimo para ajudar nas primeiras dúvidas. Também acho que vale fazer a limpa nas roupinhas de academia para se livrar das inapropriadas e ficar só com o que você vai usar (os tecidos que ajudam na transpiração, como a poliamida, são os melhores, fuja do algodão!).

E apesar do assunto do dia ser este, o look de hoje não tem nada de esportivo. Porque hoje eu acordei perua 🙂

IMG_5600

IMG_5601

IMG_5602

IMG_5599

Veja outros looks com as peças usadas hoje!
regata preta
calça de alfaiataria