Dia #3 Repetir roupa, sim! E muito!

Hoje lembrei deste caso da garota que usou a mesma roupa para trabalhar durante um ano. Ela estava cansada da preocupação com o que vestir todas as manhãs e a demora que isso acarreta. Sinceramente, também acho isso uma desvantagem competitiva em relação aos homens que se vestem em dois minutos. Para dar uma otimizada no processo, ela escolheu um look certeiro e repetiu um ano inteiro. Qual foi a escolha dela? Preto e branco, claro.

Tá pra nascer mistura mais certeira. Clássico, elegante, simples, maravilhoso. Ela elegeu a calça preta, camisa branca e casaquinho preto como “uniforme de trabalho” e arrasou demais: estava linda todo dia, economizou nas compras e no tempo para se arrumar. O que aprendemos com isso?

a) NINGUÉM LIGA SE VOCÊ REPETE ROUPA
b) NINGUÉM LIGA MESMO, DE VERDADE
c) NO-BO-DY CA-RES

Este caso é um ótimo exemplo de como podemos escolher alguns looks que funcionam no nosso armário e repetí-los indefinidamente. Não é necessário comprar coisas o tempo todo, o que só entulha o armário e nos confunde ainda mais, demorando o processo de se vestir. E a preocupação “mas eu já usei isso semana passada”, se pensarmos bem, é uma baita bobagem. Você já parou para observar se outras pessoas estão ou não repetindo a roupa? Então. Ninguém fica reparando isso em você também. Bora se arrumar em dois minutos pra poder dormir mais 😉

Com 50 peças de roupa no armário, é óbvio que eu vou repetir looks demais. E tudo bem. A combinação de hoje eu uso sempre porque une coisas que eu aprecio demais: preto/branco, tênis/blazer, confortável/arrumadinho.

IMG_1358

IMG_1362

Veja outros looks com as peças usadas hoje!
calça jeans preta
camiseta preta estampada
blazer branco

Anúncios

Dia #2 Falso macaquinho

Já começa a ficar bem evidente uma das vantagens do guarda-roupa enxuto: é mais rápido se vestir. As coisas estão facilmente disponíveis e visíveis. Sem mentira: em cinco minutos inventei esse macaquinho que nunca tinha pensado em usar (o cinto é de um vestido) e shorts e regata são peças separadas.

O short é uma delícia de usar porque é quase uma saia. Moças de coxas grossas sabem que nem sempre é fácil usar short na vida real. Eu raramente encontro um que passe no teste do “sentar e não ter coxas se espremendo pra fora”. Quando achei esse, guardei pra sempre no coração. Aprendizado importante: a única peça must have do seu armário é aquela que te faz se sentir bem.

IMG_1143

IMG_1145

IMG_1144

Veja outros looks com as peças usadas hoje!
short-saia preto
regata preta 

Dia #1 Inverno carioca

Me desfazer das roupas foi fácil, escolher só 50 peças pra usar no próximo ano foi moleza. Eu não esperava que a parte difícil fosse fazer as fotos para o blog. Dá preguiça, dá vergonha, mas aí vamos nós. Sobrevivi e temos mais 364 dias pela frente.

Neste look de estreia tem short e regata porque assim é o inverno carioca: 31 graus logo de manhã. Também tem uma tímida tentativa de mistura de estampas. Para iniciantes se aventurarem sem medo: listra na blusa e grafismo no lenço, tudo em tons neutros.

IMG_0993

IMG_0992

Veja outros looks com as peças usadas hoje!
regata preta listrada
short de alfaiataria preto 

Como reduzir seu guarda-roupa ao essencial

1280x720-AQK

Decidi que meu guarda-roupa teria que caber em uma mala. Sendo assim, inventei o número 50, de forma meio aleatória, meio instintiva e nada estudada. Em meio a um guarda-roupa abarrotado, escolhi 50 peças para usar durante um ano e vou dar fim nas outras. Metade será doada e metade vai ganhar novos lares (vou abrir uma lojinha online em breve).

O que ficou de fora desta conta: sapatos, acessórios, lingerie, roupas de dormir, roupas de academia, roupas para uma efeméride (ser convidada para um casamento, por exemplo). Por que? Porque eu não tenho muitos desses itens. Se você é louca por acessórios ou é compulsiva por sapatos, por exemplo, pode tentar limitar a quantidade dessas coisas também.

Update: uma amiga deu uma dica legal para quem tem muitos sapatos. Ela comprou uma sapateira com espaço para 24 pares e só fica com esse número. Toda vez que um novo entra, outro tem que sair. 

O que fica dentro da minha conta: calças, saias, shorts, blusas, casacos e vestidos que usarei no meu dia a dia. Escolher as 50 peças foi fácil. Comecei separando as preferidas e essenciais e logo ficou muito claro que não preciso de muito mais. Poderia ser 20 peças, poderia ser 100. O número não é tão importante. O exercício consiste em colocar um limite no que você consome, para que o ato de se vestir seja mais consciente e as compras se tornem mais racionais.

Aqui vão algumas ideias de critérios para reduzir seu guarda-roupa:

– caber em uma mala;

– caber em um gaveteiro;

– reduzir pela metade;

– tirar todas as peças que não foram usadas em um ano;

– anotar quais roupas você usou durante seis meses e ficar só com elas.

– definir um número aleatório e escolher essa quantidade de peças.

Existe o receio comum de que as roupas “não combinam entre si” e, portanto, usar um número limitado de peças seria impossível. Na verdade, se você pensar bem, esse “número limitado” já existe na sua vida, você é que não percebe: 80% do tempo estamos usando 20% das nossas roupas (princípio de Pareto, regra universal da vida). Então porque não ficar só com essas? Decidi tentar. Vamos ver como vai ser essa história.

Beijos!
Dani

Por que frear as compras e o que esta decisão muda na sua vida

Você não precisa chegar no vermelho para perceber que precisa parar de comprar. Há muitos sinais bem mais sutis de que é bom dar uma freada no consumo. Vejamos, por acaso, se você:

a) Usa sempre as mesmas roupas;
b) Não lembra de tudo o que tem no guarda-roupa;
c) Tem muitas roupas guardadas ainda com etiqueta;
d) Compra coisas porque “é bonito” ou “está barato”;
e) Todas as anteriores.

O meu caso era todos os anteriores. Comprar era a ordem natural das coisas. Eu achava que não gastava muito dinheiro porque normalmente sabia onde encontrar peças legais e baratas. Como consequência, acabava comprando muito mais do que eu realmente precisava porque “estava imperdível”.

O meu primeiro choque foi quando resolvi somar quanto eu gastei em roupas por um ano. O número é muito constrangedor para eu dizer, mas posso adiantar que daria para pagar uma bela viagem de férias. Esta foi uma revelação difícil de digerir, mas transformadora. Recomendo a todos este exercício. Onde será que está o rombo do seu orçamento? Roupas, livros, sapatos, baladas, cosméticos, restaurantes, gasolina? É possível que em algum desses itens você esteja gastando mais do que pensa. Vale dar uma checada no histórico do cartão para descobrir.

Depois de perceber o estrago silencioso que as roupas estavam fazendo nas minhas contas, resolvi desapegar. Me desafiei a viver um ano com 50 peças de roupa no armário. O blog será meu incentivo e espero também inspirar os amigos a olharem para o guarda-roupa com mais autocrítica.

Como era o meu guarda-roupa:tumblr_m72tc8vT1l1rv0unao1_1280

Como ficou o meu guarda-roupa:
foto-11

Livre, leve e feliz. As 50 peças escolhidas já estão aí, muito mais organizadas e fáceis de serem vistas/usadas. As outras tiveram três destinos: as que eu tenho algum apego, mas não uso foram guardadas, as que eu não uso e estão novas ou quase novas serão vendidas na lojinha do Enjoei e as outras serão doadas.

Sobre como eu escolhi as 50 peças e, afinal, quais são elas, falarei no próximo post.

Beijos!
Dani